A transfusão de plasma e derivados objetiva preservar o efeito oncótico do sangue, corrigir deficiências de fatores de coagulação, preservar defesa imunológica humoral.


Plasma Fresco Congelado

Indicações

  • Reposição de fatores de coagulação em deficiências com manifestação hemorrágica (insuficiência hepática, coagulação intravascular disseminada, transfusão maciça).
  • Nas dificuldades de se obter fatores de coagulação sanguíneos purificados para reposição (Fatores V, VII e IX).
  • Intoxicação por dicumarínicos.
  • Deficiência de Anti-trombina III.
  • Púrpura trombocitopênica trombótica.
  • Preparo de cirurgias em pacientes com alterações significativas no coagulograma.

Dose: 10 a 20 ml/Kg, de 1 a 4 vezes ao dia, pelo tempo necessário.


Plasma isento de Crioprecipitado

Indicações

  • Reposição volêmica exclusivamente nos casos refratários ao uso de grande quantidade de cristalóides ou repositores sintéticos do plasma.
  • Reposição em paracenteses volumosas.
  • Choques hemorrágicos.

Dose: 10 a 20 ml/Kg, de 1 a 4 vezes ao dia, pelo tempo necessário.

 

Crioprecipitado

Indicações

  • Reposição de Fator VIII, Fator de Von Willebrand ou Fator XIII, somente quando o concentrado purificado não estiver disponível.
  • Reposição de fibrinogênio em pacientes com hemorragia e déficit congênito ou adquirido deste fator (dosagem < 100 mg%).
  • Reposição em pacientes com CIVD.

Dose: 1 Unidade para cada 5 a 10 Kg 1 a 2 vezes ao dia, conforme necessidade clínica.

 

Albumina Humana

Tem por objetivo a manutenção da pressão coloidosmótica do plasma.

Indicações

  • Pacientes portadores de síndrome nefrótica, insufuciência hepática, enteropatias perdedoras de proteínas, e grandes queimados, QUANDO: houver comprometimento hemodinâmico por hipoproteinemia aguda, definido por: hipotensão, choque, oligúria, etc. e/ou albumina sérica abaixo de 2g/dl.

Dose: 1 a 2 frascos, EV em 30 a 60 minutos, 1 a 3 vezes ao dia, conforme necessidade e tolerância clínica.

 

Para maiores informações sobre a utilização do plasma e derivados consulte o GUIA PARA USO DE HEMOCOMPONENTES – Ministério da Saúde – 2009 – página 38.